sexta-feira, 19 de junho de 2009

No meio do caminho

>

Tinha uma pedra. Sísifo foi o primeiro Rolling Stone. Morro acima, morro abaixo, ele e sua pedra. Prometeu e seu rochedo. Penedia. Sílica, carbonato, substâncias milenarmente inertes. Ficam bem no leito dos rios: seixos. E nas montanhas de Minas. Bolas de gude em bolso de criança. Projétil fatal na testa do irmão de Caim. Na atiradeira que derruba o gigante. A pedra filosofal é fundamental. Porto da pedra. Pedra azul. Turmalina. Mármore bege da Bahia. Ou de Carrara. Parla, disse Michelangelo à pedra. Rocha, calhau, sílex. Magma. Ígneas. Basalto, granito, vulcânico. Plutônicas. Xisto, ardósia, quartzito. As pedras são perpétuas. Lápides. Miracema, pa-ra-le-le-pí-pe-do. Icaraí, São Tomé. Berilos. Magnetita, dolomita, feldzpato. Preciosas: águas marinhas, ametista, esmeralda, rubi, safira, topázio imperial. Uma jóia é para sempre, mas os diamantes são eternos. Consciência do cristal. Noites de cristal. Cristalina. Bacará. Murano. Cerâmica, porcelana. Pedra de sal. Pedra-pomes. Pedra de amolar. Pedra-sabão. Pedra-de-toque. No meio dos rins tinha uma pedra. Pedregal. A vida é pedreira. Atire a primeira pedra, Iaiá. Descendemos de pedras de alta linhagem: silício, cascalho, brita. Calcáreo, argila. Ossos calcinados, pedra de cal. Temos a idade da pedra e somos poeira de estrelas. Poeiras cintilantes e mortas. Mas há humanos muros em vida. Corações de pedra. Monolitos. Máscaras pétreas. Rostos crispados e envelhecidos pela dureza. Já antevistos por Emily Dickinson: “ Um rosto sem amor, de graça desprovido. Um rosto duro e ruim, rosto bem sucedido. Rosto junto do qual a própria pedra fria, desde o primeiro encontro à vontade estaria, assim como quem topa um velho conhecido” ...

/ tekka /

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A crônica é um gênero que apresenta dupla filiação, já que o tempo e o espaço curtos permitem o tratamento literário a temas jornalísticos. Tem do jornal a concisão e a pressa e da literatura, a magia e a poeticidade que recriam o cotidiano."

(Maria Lúcia da Cunha Victorio de Oliveira Andrade)
...
Grata pela visita! Você é convidado a interagir.
Abraço!

Para correio: discutindo_literatura@yahoo.com.br