domingo, 21 de junho de 2009

papo à toa

papo à toa
Ocorreu-me uma questão boba, mas bobagens é o que não falta, se ingrata ou não me pergunto e fixo na irreverência, hóspede não menos regular que minha estupidez...Colibris e outros pássaros festejam suas trocas de pena ? Nunca ouvi falar ou li sobre animais que tenham noção de que o tempo haja...Metáforas à parte a dança do acasalamento assisti em documentários mas a respeito da perda ou ganho de peso, altura, dentes, penas, filhos nada sei. Macacos nossos primos-irmãos são divertidíssimos mas terão eles alguma forma de celebração datada ? E as árvores reúnem-se para fazer festinha quando uma dentre elas produz primeiras flores?O bixo homem é tão interessante, com senso de humor festeja tudo, dia para isto e aquilo, marca o tempo e mesmo que dele deseje livrar-se . Inventou a máquina para não esquecer que é homem e que tem compromissos marcados e, até não esquecer de acordar e ir trabalhar. Ah! o ser humano tornou-se animal de promessa. Criar um animal que pode ‘fazer promessas’ - não é esta a tarefa paradoxal que a natureza se impôs, com relação ao homem? Nietzsche provocou ...Também o pai da psicanálise disse que melhores vivem os animais ditos não racionais pois esquecem...Memória curta , memória seletiva ...Sem culpa seguem vivendo , sem promessas e sem palavras dadas ...Inventamos até a guerra para celebramos seu final ! Coisa de doente, como disse o filósofo bigodudo; o homem é um animal doente !Que acontece,no desenvolvimento do indivíduo humano civilizado, para tornar inofensivo seu desejo de agressão? Pergunta do mestre Freud .Não lamento a condição em que estou apenas penso que poderíamos menos sofrer se hora e outra pudéssemos esquecer, sermos esquecidos e nem por este motivo julgados, rotulados por psicologismos e ismos que não cessamos de criar ... Se gosto de festas ? Mais ou menos , prefiro dar espaço à espontaniedade só para variar e fazer nada vez que outra, meu corpinho agradece quando me esqueço um pouco dele , da minha idade, do espelho e claro do relógio , eita máquininha cruel, quem o inventou deviria estar numa culpa inconsciente daquelas para aprontar uma dessas ...Bem ou mal termino como iniciei ; papo à toa mesmo , afinal para dar vazão , canalizar instintos e a agressão vale de tudo e quiçá mais arte e menos artefatos bélicos...

2 comentários:

  1. ola Querida!
    Pois é , bendito seja esses papos! parabéns!!!
    Gostaria que uma vez ou outra pudesse aparecer no meu blog. Uma opinião, uma palavra sempre é bem vinda!

    Abçs
    Marcia

    ResponderExcluir
  2. grata Marcia por tua leitura , estarei visitando-te assim como espero-te também, abraços afetuosos,

    ResponderExcluir

"A crônica é um gênero que apresenta dupla filiação, já que o tempo e o espaço curtos permitem o tratamento literário a temas jornalísticos. Tem do jornal a concisão e a pressa e da literatura, a magia e a poeticidade que recriam o cotidiano."

(Maria Lúcia da Cunha Victorio de Oliveira Andrade)
...
Grata pela visita! Você é convidado a interagir.
Abraço!

Para correio: discutindo_literatura@yahoo.com.br