sábado, 11 de julho de 2009

Liberdade tem cheiro de Natureza!

Liberdade tem cheiro de Natureza!

Caminhando pelas ruas logo ao amanhecer e com os pássaros finalizando
meu despertar, medito sobre a calma beleza do dia. “O inverno tem seus
encantos!” O ar estava com cheiro de natureza, e uma neblina suave
acariciava meu rosto como se fosse um beijo de bom dia das nuvens...
Compensando o frio que fazia.

Não sei por que sempre que me sinto tão próxima da natureza, como
agora, pulsa em mim um forte desejo por liberdade sem restrições.
Ir sem ter que mostrar passaporte algum... Viajar em meus próprios
delírios... Voltar quando sentir vontade e não porque está na hora.
Fazer por amor e não por dever.

Observando as casas noto como estão parecidas com mini prisões. As
pessoas perderam a noção do que é segurança. Tornaram-se prisioneiras
de si mesmas.
Meus olhos não se acostumam com tantos muros altos. São muralhas da alma.
Que saudade enorme me deu das cercas de madeiras, que mais
enfeitavam do que delimitavam quintais despidos de cimento!

Busco livrar-me desse viveiro de verdades tortas e ter como exemplo
somente a Natureza. Para agir mais espontaneamente tal qual... O sol
fazendo arte com a sombra! O vento brincando com as flores no chão!
E a contagiante farra das águas escorregando em cachoeiras!
Agora eu mesma componho e canto (mesmo desafinando) minha canção.
Descalço a realidade... E danço...
Que maravilha sentir meus pés lambuzados de areia!

Eliana de Faro Valença – Li Andorinha

4 comentários:

  1. parabéns querida Eliana pela deliciosa descrição de tuas sensações no passeio encantador, muito obrigada por compartilhá-las .
    adorei! braços de leitora e amiga virgínia

    ResponderExcluir
  2. Que delícia de texto suave, querida Eliana! Gostei muito! Há constante renascer nas suas palavras.
    Grata.
    Beijos e carinho

    ResponderExcluir
  3. Lindas Vi e Luciana,
    Agradeço eternamente pela atenção carinhosa
    para com meus escritos...um enorme incentivo
    para que eu continue...compartilhar com vocês
    é um aprendizado sem fim que adoro
    beijinhos de bem querer da Li feliz por estar
    aqui

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

"A crônica é um gênero que apresenta dupla filiação, já que o tempo e o espaço curtos permitem o tratamento literário a temas jornalísticos. Tem do jornal a concisão e a pressa e da literatura, a magia e a poeticidade que recriam o cotidiano."

(Maria Lúcia da Cunha Victorio de Oliveira Andrade)
...
Grata pela visita! Você é convidado a interagir.
Abraço!

Para correio: discutindo_literatura@yahoo.com.br