sexta-feira, 24 de julho de 2009

PRAZER


Aprendemos a melhor olhar no fundo da alma o que arde, quando abraçamos as oníricas mensagens sem medo de refazemos a viagem.

O que deseja o verbo que penetra o não tempo nos dizer?Disse Camus que quem viveu um só dia poderia passar o resto de sua vida em uma prisão...

Um bem querer e, o que não foi dito ou prometido, sobre o amor eterno, borda o avesso e costura começos. Jamais saberemos do que não foi. Se uma carícia verdadeira aconteceu, ela continua a crescer dentro da gente , não como uma doença , mas como o lenitivo à falta das flores de maio ...
Caricias sinceras, desprovidas de temor, regeneram o passeio que vai da fonte ao mar. Restauram o pulsar do peito que produz o bater das asas e, levam-nos a ver-viver a beleza visível e adivinhar a que se oculta.Teu gosto por mim me faz mel. Despertou-me do silêncio com liberdade e com este desejo e liberdade que me ofereço às manhãs.

Já faz algum tempo que me tornei cálice a ser preenchido e bebido, aos prazeres possíveis deitar ouvidos e, com a música me livrar de mim mesma.

4 comentários:

  1. Virgínia, querida, seu texto pede taças e cálices a celebrar a vida. Gostei tanto tanto. Que riqueza! Encantada.
    Muito grata.
    Beijos e afeto

    ResponderExcluir
  2. Luminosa Luciana ,se brindas comigo m a vida o que mais posso desejar senão agradecer mais e mais a acolhida ( rimou)

    com a admiração e respeito que nutro por ti mestramiga sinto-me lisonjeada tbém.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Virgínia minha querida amiga tão preciosa! Eternamente Agradecida!!
    Que riqueza deliciosa tua postagem professorinha da alma que Adoro!
    Tua companhia nessa minha ousadia pelas letras foi e é imprescindível para que eu continue firme....muito muito muito Obrigada!!!!
    Parabéns Escritora que mais me instiga e provoca minha inspiração!

    Aqui está um dia chuvoso com um friozinho gostoso para curtir uma boa música lendo as maravilhas do nosso grupo artefilospsipoesia, blogs e portal da Vaninha

    É com essa energia boa que te dou um abraço bem apertadinho mais beijinhos colibris da Li que tanto te admira

    ResponderExcluir
  4. Amiga Virgínia, fiquei buscando, lá no fundo da memória, uma palavra com a qual eu pudesse expressar o que o teu jeito de escrever deperta em mim. Hoje achei, finalmente - GRATITUDE: ficas entre a graça, a atitude, a quietude. Tens daquela pausa necessária à alquimia do silêncio e da palavra. És gesto. Beijos

    ResponderExcluir

"A crônica é um gênero que apresenta dupla filiação, já que o tempo e o espaço curtos permitem o tratamento literário a temas jornalísticos. Tem do jornal a concisão e a pressa e da literatura, a magia e a poeticidade que recriam o cotidiano."

(Maria Lúcia da Cunha Victorio de Oliveira Andrade)
...
Grata pela visita! Você é convidado a interagir.
Abraço!

Para correio: discutindo_literatura@yahoo.com.br