segunda-feira, 8 de março de 2010

DIA LEGAL


Soninha Porto

Hoje entre meus afazeres, observo o dia de chuva fina a cair sobre telhados e de repente, num passe de mágica, um calor escaldante,  que faz brotar o suor em meu rosto, um dia confuso!
Ligo o computador, é o dia da mulher, o meu dia e de todas as mulheres, as que conheço e outras só pela telinha do pc, sinto meu coração palpitando, é necessário homenagear essas mulheres.
Olho pela minha janela, busco inspiração, ouço sons de buzina e sinto que o dia está mesmo com cara de segunda-feira, mas tenho que transformá-lo, fazer com que seja um dia importante, já que ele é tão reverenciado...
O que fazer para essas maravilhosas mulheres, que me acompanham há mais de 4 anos, na Poemas à Flor da Pele?
Basilina, Dora, Sirlei, Marcinha, Sandra e Goreti, mulheres que há muito tempo trocamos idéias, fazemos e acontecemos em eventos culturais e fortalecemos uma linda amizade.
A Comunidade que tá virando Associação Cultural, dá mais um passo nessa escalada vertiginosa, que só é possível porque essas mulheres acreditam no que acredito e me apóiam e me seguem e eu as apóio e as sigo também. Não posso deixar de dizer que os homens também.
É a Ana, a Telma, a Lena, a Rose, a Rosa, a Sandra, a Enise, a Leinecy, as Carmens, a Denise, a Fátima, as Claus, as Glórias, a Nádia, a Mary, a Lydiah, a Ligia, as Juçaras, a Cida, a Marineves, a B@by, a Zia, a Angela, a Roseane, a Gilda, a Luciana, a Andrea, as Soninhas, a Sara, a Arlete, a Uil, tantos e tantos nomes que são significativos em minha vida.
Recorro a comunidade de Lenise, moderadora de tempos da Poemas e que faz um trabalho de pesquisa de imagens inigualável, tudo ali é lindo e perfeito, por sinal usei as suas dicas para lhe homenagear pelo seu aniversário, agora dia 6 de março, não é brincadeira não, é verdade, depois da comunidade da Lenise, nada do que se faça tem graça. E lá na sua página encontrei o que precisava: uma moldura colorida, psicodélica até, para enfeitar os rostos que estão em meus arquivos, selecionei aqueles que estão mais presentes, rostos que fazem parte da minha vida, do meu dia-a-dia, tão conhecidos, tão íntimos, tão amigos!
E passei horas e horas buscando, selecionando, fentando imprimir a todos eles o meu sentimento de gratidão, de amizade, numa forma de dizer a essas maravilhosas mulheres que as amo, que seus rostos me encantam e me inspiram, porque circulam pela página da Poemas, onde escrevem poesias lindas, fazem artes digitais e formatações e deixam suas palavras e, principalmente: seus rostos que emocionam, não só a mim, mas a todos que passam por aqui.
Cada vez que os vejo alegres, com histórias lindas de amor, de felicidade, de luta, do viver bem, ou tristes, por doenças, fobias e perdas, e penso o quão pouco faço para retribuir-lhes a atenção e o cuidado para comigo.
O telefone toca, Chico, meu filho, interrompe meus pensamentos e o meu vertiginoso trabalho, chamando para almoçar. Fomos no bar do Alfredo, ali na esquina de casa, onde tem uma comidinha caseira bem boa. Ao sair, uns pingos de chuva começam a cair, eu e o Shin corremos com medo de a chuva aumentar, ao entrar no bar a dona logo dispara, como se não pudesse deixar de dizer: Feliz dia da Mulher!
Comi rapidamente, o trabalho me esperava, meus rostos me esperavam.
Será que eles irão sentir todo o carinho que tenho por eles, só com essa pequena homenagem? Será que eles sabem o quanto são importantes para mim? E se esqueci de alguém?
Assim nessa luta interior terminei o último quadro, fui do Sul ao Norte e até Portugal, tentei fazer o melhor. Ai, se não gostaram tenham piedade de quem vive só de rostos.
 

3 comentários:

  1. Gostaria de participar desse espaço, como não achei forma de adicionar e etc, resolvi contactar... Gostei muito da forma de escrever de vcs, ou vc, não sei, só entre em contato, ok? Bjssssss

    ResponderExcluir
  2. Soninha Porto
    Hoje pude ler está sua grandiosa crónica, isso valeu meu dia aqui tão deistante da minha terra Brasil.
    Meus cumprimentos a este espaço muito interessante,
    Efigênia Coutinho
    in New York

    ResponderExcluir
  3. Estive aqui e gostei muito, parabéns!
    abraços, Nita Mota

    ResponderExcluir

"A crônica é um gênero que apresenta dupla filiação, já que o tempo e o espaço curtos permitem o tratamento literário a temas jornalísticos. Tem do jornal a concisão e a pressa e da literatura, a magia e a poeticidade que recriam o cotidiano."

(Maria Lúcia da Cunha Victorio de Oliveira Andrade)
...
Grata pela visita! Você é convidado a interagir.
Abraço!

Para correio: discutindo_literatura@yahoo.com.br